Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Fiocruz prevê aumento de síndrome respiratória grave em Vitória

Vitória está entre as 20 capitais brasileiras que apresentam tendência de aumento nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). As informações são do Boletim Infogripe que foi divulgado nesta quinta-feira (26) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Segundo a fundação, todas as regiões do país apresentam um sinal crescente dos casos de covid-19. Vale ressaltar que a Síndrome Respiratória Aguda Grave pode ser desencadeada pelo SARS-CoV-2.

Além de Vitória, a análise feita ao longo das últimas seis semanas apresentou tendência de aumento em Aracaju, Belém, Boa Vista, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Macapá, Maceió, Manaus, Natal, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador e também São Paulo.

Segundo informações divulgadas pela Agência Brasil, mais de 98% das mortes por SRAG em que havia teste positivo para algum vírus respiratório eram causadas pela covid-19, isso nos momentos considerados mais críticos da pandemia.

Ainda de acordo com o site de notícias, no boletim desta quinta, 48% desses casos de SRAG e 84% dos óbitos atribuídos a casos virais da síndrome estão associados ao SARS-CoV-2, se forem consideradas as últimas quatro semanas. Somente este ano, 141.808 casos de SRAG no Brasil já foram notificados.

Destes, 72.092 (50,8%) apresentou resultado positivo para algum vírus respiratório, 50.753 (35,8%) foram negativos e ao menos 11.521 (8,1%) ainda aguardam resultado laboratorial. Entre os positivos para vírus respiratórios desde janeiro, 81,5% foram causados pelo SARS-CoV-2, 8,1% pelo vírus sincicial respiratório e 5,1% pelo Influenza A.

Unidades de saúde no ES têm aumento de até 80% no atendimento a crianças em maio

O número de crianças atendidas com sintomas de doenças respiratórias na Grande Vitória, cresceu nos últimos meses, segundo as prefeituras. Só na Serra, no início do mês de maio, esse aumento ultrapassou os 80%. Já em Vila Velha, ficou em torno de 40%.

A secretária de Saúde do município, Cátia Lisboa, comentou na época que foi realizado um reforço em todas as escalas da clínica médica quanto na pediatria.

Já a Prefeitura de Cariacica informou que o número de atendimentos também havia aumentado significativamente nos Prontos Atendimentos do Trevo de Alto Lage, Bela Vista, Flexal e Nova Rosa da Penha, mas não informou de quanto foi esse aumento.

Em Vitória, no começo do mês, a informação da Prefeitura de Vitória era de que as notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave em crianças e adolescentes estavam estáveis nos serviços de saúde da Capital.

Crianças e idosos são mais sensíveis às mudanças climáticas

Segundo a médica pneumologista Jessica Polese, as crianças e os idosos são os mais sensíveis às mudanças nos termômetros e, por isso, tendem a buscar mais atendimento médico.

“Quem pode desenvolver complicações é o público que a gente acha ser mais perigoso, que são os pacientes pneumopatas. Os pacientes que são muito jovens — os bebês, as crianças pequenas — e os idosos, que já têm outras doenças juntas, que dificultam o quadro todo”, destacou a especialista.

*Com informações da Agência Brasil e da repórter da TV Vitória/Record TV, Luana Damasceno

Deixe seu comentário: